O Vigia da Noite

Até a blogolândia pode e deve ser analisável... Armado do meu mestrado em crítica construtiva aplicada e do meu doutoramento em análise legítima da blogosfera, espero poder contar convosco para concordar e discordar das minhas opiniões sobre tudo o que de tão diferente por aí anda a vogar...

5.1.06

Telling Stories


Género: Eclético, mas basicamente divulgando actividades artísticas.

Desde: 9 de Julho de 2003.

Autora: Leda Cruz.

Actualizações: Ocasionais.

Endereço: http://www.ledacruz.blogger.com.br/



Eis um blog algo difícil de comentar, pelo facto de, no meu ponto de vista, se tornar muito complexo (ou complicado) na sua estrutura e por conter, perfeitamente lado a lado, coisas de um certo interesse e puras banalidades.
A autora, Leda Cruz, será uma artista plástica brasileira mas com larga experiência portuguesa. Isso é visível no layout do blog - mas com um handicap que é a primeira coisa que salta à vista: somos assaltados por múltiplas imagens, mas o resultado final é algo caótico, diria mesmo um pouco desagradável. Creio que se poderia pedir maior esmero de composição a uma artista plástica...
O blog inicia-se com histórias banais, para não dizer desinteressantes, da mudança de uma brasileira de Lisboa para o Porto. Se bem que seja uma realidade que os blogs se iniciaram como uma espécie de diário de bordo da vida dos seus autores, é também um facto que a evolução tem sido grande no sentido de um maior pendor jornalístico, crítico e de entretenimento (inteligente, quando possível). Seguem-se comentários pessoais a filmes, muitos textos que não passam de meras citações integrais de outros, artigos de forte pendor feminista (ao que não será alheia a proveniência geográfica da autora) e ainda alguns artigos de opinião sobre temas diversos.
Até aqui tudo bem. Ou quase. A questão é que o Telling Stories falha em diversos outros aspectos e não menos no facto de constituir um veículo de nítida propaganda para a autora e para os que, de algum modo se lhe ligam... Um exemplo claro é o link destacado para um pequeno artigo de Arthur Neto sobre a Casa da Música, em http://arthurneto.com/, onde Leda Cruz terá tido a oportunidade de expôr trabalhos seus. Encontramos igualmente um link para o site da autora, um site simples e algo estático, em http://ledacruz.com/. E ainda mais um link para um fotolog (não deveria ser fotoblog?) de Leda Cruz, em http://fotolog.com/lc_tellsstories, o qual sofre com uma apresentação bastante pobre. É, no entanto, igualmente verdade que o blog possui um bom conjunto de outros links, para sites e para blogs, o qual se encontra bastante bem organizado por secções - facto positivo.
Gostaria de ser capaz de deixar passar os deslizes da linguagem que também ocorrem com alguma frequência (não relacionados com a naturalidade da autora), tendo em conta o triste facto de que constituem uma moeda correntíssima na blogosfera, mas não posso... Assim, Leda Cruz, refere a editora Assírio & Alvin (e não Alvim), utiliza o imperativo do aportuguesado clicar, escrevendo click em lugar de clique, escreve costumo junta-las em vez de costumo juntá-las e refere Leonardo da Vinci como tendo sido o inventor do spargueti, somando aqui dois erros: antes de mais, spaghetti ou esparguete; depois, toda a gente sabe que o spaghetti foi trazido por Marco Polo das suas perambulações chinesas, isto é, uns tempos antes do Renascimento e de Leonardo.
Poderá eventualmente parecer que me dediquei a falar muito mal do Telling Stories, mas não é verdade. Como disse, limitei-me a exprimir a minha surpresa perante o casamento inusitado de coisas claramente boas com coisas claramente más. Para Leda Cruz, o meu conselho é básico mas porventura eficaz: simplificar. A vocês, aconselho-vos a visitarem este blog e daí retirarem as vossas próprias conclusões. Quem sabe não estarei a ser demasiadamente severo? Ou não...



Classificação: = Interessante.

search marketing sydney
search marketing sydney Counter